segunda-feira, 2 de março de 2009

Na trilha dos cinquenta



Foi só um zumbido para me despertar.
E mal sabia a dona do zumbido que era disso que eu estava precisando: despertar.
Coçei os olhos, olhei o quarto aconchegante do meu chalé, levantei.
Abri a janela, desci as escadas procurando por algo, talvez uma estrada.
Resolvi caminhar pela trilha.
Desde que percorri aquela trilha pela primeira vez, algo mudou dentro de mim.
Voltei nela ontem pela tardinha. Achei-a sinistra. Tinha chovido, o chão, bem cuidado, de terra batida estava ainda molhado e frio.
Haviam pingos nas folhas dos bambus, arrepiei.
Incrível como aquela trilha mostrava passos. Meus?
Cada lugar que eu passava, ficava atenta. Até um simples cipó, emaranhado nos bambus, queria me dizer algo. Dizia e eu escutava. Meu coração ofegante concordava.
Senti que o universo daquele lugar, onde folhas, teias de aranhas, tocas de coelho, ninhos de passarinhos, até um broto de bambu que despontava do solo, todos, todos, queriam entrar no meu universo e mostrar a minha trilha.
Então olhei para trás, vi uma estrada, diversas encruzilhadas, onde tive que optar por caminhos desconhecidos, incertos talvez. Alguns com muitos obstáculos.
AH! Esses aprendi a retirar algumas pedras, levantar dos tombos que levei, Valeu, valeu!
E agora? Estou na trilha dos cinquenta anos. Incertos, possivelmente.
Descobri que não quero ficar com o pé no chão.
Um passarinho me contou, na trilha da minha chácara que voar é lindo, para eu não desistir nunca. Ainda deu-me um conselho:
---Chega lá em baixo só para se energizar na terra, bom mesmo é seguir... de encontro ao infinito.
Voltei mais leve. Vou me aconchegar debaixo das minhas cobertas, com meu bem querer.
Só não quero outro beijo de muriçoca.

14 comentários:

Vanderhugo disse...

Que bacana, hein?
To precisando de um passeio desses, rsrsrsrs...

obrigado pelos comentários... e, a propósito do comentário sobre o meu pai, ele é mesmo uma raridade, viu. Aliás, a minha mãe tbm é. Atualmente, moram em Fonseca.

Abraços

Danilo de Abreu Lima disse...

oi ana, vim ver seu blog- tá muito bonito, este amor e carinho pelo seu pai...essas trilhas eu já conhecia lá do over.. por falar nisso, volte lá,,, mande mais textos... abraços carinhosos Dan

Srta.Formiga disse...

Que lindo...ainda não encontrei o meu passarinho na trilha dos 40...por enquanto tô achando os "enta" muito chatos...
Fique a vontade no meu blog.Obrigada pelo prestígio!
Voltarei sempre!

Sheila Vieira disse...

Oi Ana, virei seguidora do seu blog. Muito bacana seus textos. Também criei um blog. Chama-se Memórias de um Souza. É sobre as memórias da minha infância.
Ainda não escrevo como você, Marcos Martino e Ana Terezinha, por exemplo, mas sei que estou encontrando o caminho.
Grande abraço!

Michelle disse...

Nossa, achei super legal o Blog! E obrigado por ter seguido o meu, MichikiStudio! Sucesso! Michelle.

Rita de Cassia disse...

Ana querida o texto está ótimo! Lindo caminhar pela vida né?! Mas querida lembrei-me muito dos beijos que recebo aqui de minhas muriçocas.
bj bj bj

Isabela Kastrup disse...

Nossa que máximo, hein? Adorei o seu jeitinho de escrever!
Ah, quero agradecer a visitinha e o recadinho super carinhoso!
Muitos beijos,
Isa

Blog - util.necessario - Ana disse...

Confesso que não sou de trilha, mas amei o modo como você escreve. Vou voltar mais vezes, não pela trilha... mas pelo prazer de ter uma boa leitura.
Bjs, Ana
http://utilnecessario.blogspot.com/

Ví por aí... disse...

Oi Ana...
Passando para conhecer e achando muito ótimo tudo por aqui...
Suas postagens nos convida a pensar...e isso é bom...
Fora a paz de Minas que ele transmite...
Amei!
Bjkas da Jô

Kyria disse...

Ana, adorei esta reflexão e gostei muito do seu blog. Obrigada pela visita, bjs

calma que estou com pressa disse...

ai que delícia este antinho! e esta trilha é toda tua?
além de arteira tu é poeta tb?
tu já conhece o blog da fátima - viver é afinar o instrumento? lá é um paraíso tb! e ela daqui de Minas. Itabira!
bjs

Blog - util.necessario - Ana disse...

Poucas mulheres no mundo ganham uma árvore plantada "só para perfumar seus dias"!
Acho que é uma lembrança muito feliz!
Bjs, Ana
http://utilnecessario.blogspot.com/

Danilo de Abreu Lima disse...

ei ana, cadê vc? porque não escreve mais? abraços Danilo

(Carlos Soares) disse...

Oi, amiga. Obrigado pela visita. Peço que volte sempre.Você é de Alvinópolis? Conheço lá,ia muito na juventude com amigos.Gostosa cidade.Beijos