sexta-feira, 9 de maio de 2008

E a natureza convocou anjos pra me cuidar


Me embrenho na mata a procura de mim.
Está tudo escuro,
onde estou?

Quero encontrar-te meu rio de amor,
banhar-me nas suas águas límpidas.
Retirar todo pó que atormenta-me.

Meu Sabiá, canta pra mim...
Prometo que desta vez dançarei...bailarei...

Meu Pé de Manacá, massageia-me com o cheiro de suas flores,
abraçe forte meu coração entristecido.

Lua e estrelas brilhem sobre mim.
Onde está aquela varinha de condão
que me faz adormecer e sonhar?

O sol está nascendo.
A mata desperta e eu também.

Dentro do meu quarto, uma mão quentinha acaricia minha face,
dando sinal que está tudo bem.
Esses achados vem de Ti, Pai do Céu.
O mundo todo precisa destes teus anjos.

Um comentário:

A ti, poesia! disse...

ana, vim te visitar aqui... teu blog está muito bonito, textos ótimos...depois venho ler com calma... abraqços Danilo.